Cuidar da saúde faz muito bem

Cuidar da saúde faz muito bem

4
SHARE

Por mais aventureiro que o viajante seja, não dá pra descuidar da saúde na hora de fazer um mochilão. E para não ficar enfurnado vários dias em um hospital perdendo o sol maravilhoso lá fora, são essenciais cuidados antes e durante a viagem. Em especial neste tópico, vou abordar os check ups, seguro saúde, medicamentos e vacinas.

Check ups antes da viagem

Além dos exames normais de rotina (sangue, cardiológicos), alguns outros são importantes dependendo do seu roteiro. No nosso caso, como vamos fazer a Transiberiana e ficar alguns dias dentro de um trem, eu (que já possuo alguns probleminhas de circulação nas pernas) procurei um Angiologista. Minha surpresa foi quando ele me disse que além de usar aquela meia apertada durante as travessias mais longas, eu também teria que levar um fitoterápico que ajuda no controle da pressão sobre as pernas, já que a mochila é bem pesada. Esse e outros tipos de viagens mais exóticas, que envolvam grandes altitudes ou desertos por exemplo, também podem receber um tratamento mais especial.

Seguro saúde

Não vale o torcer o nariz, mas sem ele, você pode até ficar barrado na imigração. Então, mesmo que você nunca tenha ficado doente na vida, garanta sua entrada em todos os seus destinos. Fique atento a algumas regras específicas do país ou região que você vai visitar. Na Europa, por exemplo, a maior parte dos países faz parte do Tratado de Schengen, que, dentre outras coisas, exige dos turistas um seguro saúde com cobertura médica mínima de 30.000 euros.

Mas o mais importante é garantir que se alguma coisa acontecer com você durante a viagem, você terá atendimento médico e não gastará todo o dinheiro da sua viagem (ou até mais) apenas pra colocar um gesso na perna. É sério, gente! Saúde para turistas é muito caro. E você vai pagar em média uns 250 reais de seguro para uma viagem de uns 15 dias.

A oferta de seguro saúde para viagem é bem grande. Eu sugiro fortemente que você use a Real Seguros, uma empresa que compara o valor de várias seguradoras, o que facilita a pesquisa e ajuda a economizar (afinal, o cliente pode ver qual seguradora oferece o melhor-custo benefício). Existe também o WorldNomads (http://www.worldnomads.com/travel-insurance/), um seguro famoso entre o mundo mochileiro e que tem uma cobertura especial para quem vai praticar esportes radicais, mas o valor é mais caro.

Medicamentos para uma viagem

Depois de ler o próximo parágrafo e ver a foto abaixo, todo mundo vai ter certeza que somos hipocondríacos, rs. Mas, a verdade é que somos conservadores para algumas coisas, lembram? Fizemos uma lista de todos os tipos de remédio que achamos que podemos precisar: antibióticos, anti-inflamatórios, indigestão, azia, controle de diarreia, etc. Além desses, incluímos, em quantidade maior, aqueles que habitualmente já usamos.

Também não economizamos no repelente. O mais indicado por todos com quem conversamos é o Exposis preto. Mais caro que os outros, mas, segundo dizem, o único realmente potente. Também por precaução, optamos por pedir a ajuda de um amigo médico para elaborar uma receita em inglês com todos os remédios. Se a validade desse receita é real, só a experiência vai nos dizer, mas, sem dúvida, nos sentimos mais seguros com ela.

Outras utilidades farmacêuticas importantes: termômetro, kit primeiro socorros, colírio, balinhas para garganta, álcool gel e aquele sorinho de nariz.

Listinha básica de medicamentos
Listinha básica de medicamentos

Vacinas

A USP oferece um serviço muito bacana para viajantes: um ambulatório especial dentro do HC, no prédio dos ambulatórios, em São Paulo e também na faculdade de medicina de Ribeirão Preto. A dinâmica é bem simples: basta ligar com um mês e meio de antecedência para se inscrever. No dia agendado, você participa de uma palestra, que aborda questões mais gerais de viagem (doenças básicas, cuidado com a hidratação, mosquitos, etc); logo em seguida, eles te chamam para uma consulta individual. É durante essa consulta que eles se aprofundam nos países para os quais você vai e te ensinam os cuidados básicos para cada um deles. No final da consulta, o médico te indica as vacinas, que você toma lá no próprio ambulatório.

É assim mesmo, bem fácil e gratuito. Eu desconheço outros centros especializados fora de São Paulo, por isso, convido a quem conhecer a compartilhar a informação nos comentários para ajudar viajantes de outros estados. Se você não encontrar nenhuma opção, pode procurar o posto de saúde ou hospital público mais próximo. Eles não são especialistas, mas podem dar um norte.  Ou até mesmo, consultar um clínico geral, que também te ajuda com a lista dos medicamentos.

De forma geral, a principal vacina para os viajantes é contra a febre amarela. Muitos países exigem o certificado internacional da vacina na imigração. O centro também nos indicou a tríplice viral (porque tomamos quando éramos muito pequenos), um reforço de tétano, três doses contra raiva e também hepatite A (a única que o hospital não oferecia). Hepatite B não precisamos porque tomamos há 8 anos e ela tem 10 anos de validade.

 

Outro cuidado que tomamos, embora esse seja só uma frescurinha de quem tem uma irmã nutricionista como eu, foi com a alimentação. Incluímos em nossas refeições alguns alimentos muito ricos em vitaminas, ferro, zinco, e outros elementos para cuidar da nossa imunidade.

Cuidar do bem-estar físico é uma das preocupações mais importantes para um viajante. Sem o corpinho saudável, nenhuma viagem consegue sobreviver.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 COMMENTS

  1. Pam, o repelente é msm o melhor, apesar do cheiro. A assistência Saúda da Visa funciona muito, já usamos 2 vezes. Ah, eu vi um saco de lavar roupa em viagens, especialmente para mochileiros, chama Scrubba Wash Bag, lembrei de vcs na hora! Bj

LEAVE A REPLY