Dicas de bagagem. Especial se você tem mais de 60 anos

Dicas de bagagem. Especial se você tem mais de 60 anos

4
SHARE

Quando eu pergunto para alguém que está indo viajar se a pessoa precisa de ajuda, é muito comum ela responder “sim, muita, me ajuda com dicas de bagagem?”. Bagagem virou o hit do momento! Todo mundo quer levar uma bagagem leve (agora é cool viajar leve), mas ninguém pode deixar em casa aquela sandália maravilhosa que será usada uma única vez, porque afinal, será um jantar super chique.

Mas quem vai fazer uma viagem mais econômica e em esquema mochilão (que foi o caso dessa viagem com minha mãe) tem que se preocupar com bagagens enxutas, leves e fáceis de transportar, principalmente porque todo o transporte entre as cidades, entre aeroporto e hotel será feito com uso de transporte coletivo (basicamente metrôs e ônibus locais).

E se já não é fácil subir (e descer) as escadas das estações de metrô que não têm elevador ou escada rolante com as próprias malas, imagine ter que ajudar a pessoa que está com você? Pensa que tem escada rolante em todas as estações de metrô do mundo? Rá! Te peguei! Não tem não, aliás, esse é dos grandes problemas do metrô parisiense, por exemplo.

A bagagem de viagem da Dona Eliana 😉

Malas da viagem
Tudo o que precisávamos!

Como vocês já sabem, minha mãe tinha muitos medos com relação a essa viagem e depois que ela foi ela viu que nenhum desses medos fazia sentido. Dona Eliana está novamente de parabéns por mais essa tarefa cumprida! Dei a ela as dicas gerais, expliquei certinho e a mala dela ficou impecável!

Roupas e cia: 7 blusinhas de calor, 1 camisa, 3 blusinhas ¾, 2 blusinhas de manga comprida, 1 casaco, 1 blusinha de lã fininha, 2 leggings, 1 calça jeans e duas bermudas, 1  pijama, 2 xales e roupas íntimas.

Calçados e cia: dois tênis, um chinelo e muitas meias (dessas ela não abriu mão).

Acessórios: 2 colares, 1 tiara de cabelo e 1 cinto.

Maquiagem: 1 batom.

Medicamentos: todos os de uso contínuo para 20 dias, spray antinflamatório e analgésicos.

Higiene:  xampu,  condicionador,  desodorante,  creme para mãos,  pasta de dente, protetor solar para o corpo, protetor solar para o rosto, protetor labial e 3 sabonetinhos.

A mala média que compramos pra ela só ficou 70% preenchida! Matadora, não? \o/ E olha que nem todas as peças tiveram a sorte de passear por ruas europeias! Algumas voltaram tão limpinhas quanto foram.

Questionei a minha mãe se ela arrependeu de não ter levado alguma coisa ou se ela sentiu muita falta de um item específico e adivinhem. A resposta foi não! Então gente, é isso aí. Pode até parecer que muita coisa fará falta, mas na prática, é mais uma questão de “medo de precisar e não ter” do que de realmente precisar.

Então, se liga nas nossas dicas de bagagem aí embaixo e depois conta pra gente se deu certo! 😉

Post relacionado: Travel 60+. Um projeto para encorajar a melhor idade a viajar pelo mundo

Dicas de bagagem #1 – Previsão do tempo

Verão é sinônimo de regata e shortinho, certo? Errado! Na Europa, verão é sinônimo de “tudo é possível”. Durante os 15 dias em que estivemos lá, usamos capa de chuva em praticamente metade deles. Em quase 80% das nossas fotos, você vai reparar que estamos usando xales.

Xales no verão europeu
Xales no verão europeu

Moral da história: não importa o que as pessoas falam (ou o que você leu) sobre o acontece na época do ano da sua viagem. Comece a checar a previsão do tempo com alguns dias de antecedência e prepare suas roupas de acordo com ela.

Dicas de bagagem #2 – Itens indispensáveis

Faça uma lista de todos os itens indispensáveis meeeesmo na sua bagagem. E eu não falo só de roupas. Se você vai fazer uma trilha, um bom tênis ou bota de trilha é um item indispensável. Se o se intuito é tirar fotos incríveis, não pode deixar de fora o tripé. Se você tem problemas com alergia ou alguma dor específica, tem que levar os respectivos medicamentos.

Pulo do gato: Eu me faço sempre duas perguntas: 1) Minha viagem será a mesma se eu deixar a coisa X em casa? 2) Se eu precisar da coisa X, vou conseguir compra-la facilmente durante a viagem? Se as respostas forem NÃO, então, elas são indispensáveis e você vai precisar leva-las.

Bagagem_remédios
Medicamentos são sempre indispensáveis. Só não precisa levar a farmácia toda da casa, né?

Dicas de bagagem #3 – Desapego

Sair em várias fotos com a mesma combinação de roupa não é mesmo muito legal, mas não é nada necessário levar uma combinação diferente de roupas por dia. Não é porque a viagem será de uma semana, que você precisa de 7 calças, 7 shorts, 7 camisetas e 7 camisas. Se você foi aplicado no primeiro exercício (e checou a previsão do tempo) verá em quais dias vai usar o que.

Para refletir: se na sua casa, você não descarta a calça jeans no cesto de roupa suja só porque a usou uma única vez, porque o fará durante uma viagem?

Post relacionado: Decidi viajar aos 60 anos. e estou feliz da vida! 

Dicas de bagagem #4 – Escolha inteligente das roupas

Exercício simples de combinação de cores. É muito importante que as peças combinem entre si. Normalmente, uma dica é abusar das cores neutras, mas cuidado porque elas podem não combinar entre elas (por exemplo, marrom e preto ou cinza e marrom). Assim, minha sugestão é fazer um mix entre calças, bermudas e shorts mais neutros e escuros (porque sujam menos) e blusas mais claras e até algumas coloridas.

Xales e colares também ajudam a diversificar o visual e assim dá pra usar a mesma blusa mais de uma vez.

Para fugir como diabo da cruz: tecidos que amassam. Mesmo que o hotel tenha ferro de passar, perder seu precioso tempo passando roupa não é legal, né?

 

 

Dicas de bagagem #5 – Itens importantes para quem está na melhor idade

Muitos desses itens podem ser importantes para qualquer pessoas, mas acredite são essenciais para quem já tem mais de 60 anos. Basicamente, porque é preciso garantir conforto nas mais diversas situações: chuva constante, frio inesperado, sol muito forte, barulho na hora de dormir, hotel sem cortina na janela ou perda dos óculos de grau, por exemplo.

  • Dois pares de tênis bem confortáveis e já “laceados”
  • Uma meia elástica, daquelas tipo Kendal
  • Uma jaqueta de chuva (ou capa de chuva)
  • Um gorro e um boné
  • Um casaco quente
  • Um xale grande
  • Tapa-olho e protetor auricular
  • Dois óculos de grau e dois óculos de sol
  • Apoio de pescoço
  • Kit primeiro socorro
  • Lenço umedecido ou álcool gel (esse dá pra comprar no destino também)
  • Mochilinha de ataque (pra carregar garrafinha de água, xale, carteira, óculos de sol e celular) com presilhas na cintura ou bolsa de lado com alça larga
  • Medicamentos de uso contínuo
  • E os seguro saúde. Fundamental. Você pode reservar o seu por aqui

 

Mochilinha de ataque
Mochilinha de ataque (olha as presilhas na frente)

Super dica da Dona Eliana: um pacotinho de absorventes. Minha mãe insistiu muito para eu colocar essa dica aqui. Segundo ela, é a melhor dica do post, rs. O absorvente serve como palmilha pra ser usado dentro do tênis. Ele amortece o impacto e ajuda muito a diminuir as dores nos pés.

Dicas de bagagem #6 – Hora da verdade

Depois de tudo escolhido, espalhe suas coisinhas na cama e faça um mapa mental, combinando o máximo que puder e imaginando as situações que você vai usar suas roupas e acessórios. Não esqueça de incluir os calçados no mapa. Se você não tomou um susto, e sentiu orgulho pela sua recém-descoberta habilidade em selecionar, talvez sua mala esteja perto da perfeição.

Bagagem_roupas pra levar
Todas as roupas na cama

Comece colocando na mala os itens mais pesados e maiores e tome cuidado para preencher todos os espaços. Se você é a organização em pessoa, embale as roupas parecidas no mesmo saquinho e assim ficará fácil encontra-las na hora de escolher.

Eu, particularmente, não gosto de preencher os espaços vazios da mala (mochila, no meu caso) com cintos, meias, etc. Pra mim não funciona porque elas ficam soltas e perdidas, e isso dificulta muito que eu as encontre na hora da correria. Eu tento agrupar as roupas nos cantos e deixar um espaço maior onde eu possa colocar uma nécessaire.

Algumas pessoas preferem fazer rolinhos, outras preferem esticar uma peça em cima da outra. Desde que você aproveite todos os espaços, pode ficar confortável e seguir sua própria técnica.

Mala pronta
Mala tá pronta. É só fechar

Embale todos os cremes, xampus e afins, envelope as tampas com fita crepe (pra dificultar que elas se abram com a pressão do voo) e guarde tudo junto em uma nécessaire, de preferência daquelas com um ganchinho que você pode pendurar na parede do banheiro e deixar tudo à mão.

Veja aqui nossas dicas de planejamento para uma viagem como essa.

O que levar na bagagem de mão

Tudo o que você não pode perder de jeito nenhum, coisas necessárias para garantir o conforto no voo e mais uma troca de roupa, caso a mala de porão seja extraviada.

Nossa listinha:

  • Documentos
  • Eletrônicos e cabos
  • Remédios
  • Escova e pasta de dente e fio dental
  • Uma troca de roupa
  • Chinelo
  • Apoio de pescoço
  • Livro, revista ou palavra cruzadas
  • Barrinha de cereal, castanhas ou outra comidinha industrializada. Pra ninguém morrer de fome caso a comida do avião não seja boa, principalmente a pessoa com mais de 60 anos.

E o melhor de viajar somente com os itens necessários é que vai sobrar espaço na mala pra colocar todas as coisas novas que você comprou! 😉

E aí, o que você achou das dicas? Quer compartilha as suas com a gente? É só escrever aí embaixo na caixa de comentários!

Newsletter_1

 

4 COMMENTS

  1. Parabéns para Dona Eliana! Difícil ver brasileiras com mais de 60 anos de tênis.
    Quanto mais viajo, mais enxugo a mochila. Hoje em dia vou com apenas uma mochila para qualquer lugar, mesmo que seja uma viagem de mais de 30 dias.
    Gostei das dicas 😉

    • Oi Gabi, a bagagem é praticamente uma questão estratégia de viagem, né? Andar de tênis é o que minha mãe mais faz na vida: conforto e facilidade. Nas viagens, não podia ser diferente mesmo. Obrigada pela visita!!! 😉

  2. Que post MARA, Pam!
    Eu também fujo das roupas que amassam facilmente. E tenho tentado mais e mais a cada dia viajar mais leve. No fim das contas a gente não usa um mooonte de coisa que acahava que seria indispensável e que sairia lindo na foto. E, se for o caso, a gente compra o que precisa lá no destino. Afinal, umas pequenas comprinhas acabam fazendo parte da viagem, né!

LEAVE A REPLY