Ron Mueck. Genialidade e inovação na Pinacoteca em SP

Ron Mueck. Genialidade e inovação na Pinacoteca em SP

0
SHARE

Um sábado ultra caloroso, sem nuvem nenhuma no céu pra contar história, 9h da matina. E nós estávamos lá na fila, que dobrava duas esquinas do quarteirão. E olha que a Pinacoteca ainda estava fechada!

Em companhia de uma garrafa de água bem gelada, um guarda-chuva (daqueles tipo guarda-sol), pessoas bem humoradas e alguns carrinhos de milho-verde, água de coco e pastel, nós dois, no meio da torcida, esperando para ver as surreais esculturas humanas do Ron Mueck.

Fomos à exposição acompanhados de um casal de amigos e do filhinho deles (que a-do-rou a exposição). Esperando pelo segundo filho (sim, minha amiga grávida foi a exposição com uma barriga de quase oito meses), eles pegaram a fila preferencial e entraram rapidinho.

Já na Pinacoteca, mas antes de entrar nas salas de exposição, a guia nos passou algumas informações importantes. As duas principais: 1- não ultrapassar, em nenhuma hipótese, a faixa que circula a escultura (mesmo se você quiser esticar o braço para bater uma foto, sua mão PRECISA ficar atrás da faixa) e 2- embora seja possível ficar o tempo que quiser dentro das salas, uma vez que você tenha saído de uma, não é permitido retornar. Bola pra frente!

A primeira escultura é A Máscara, aquele rosto enorme que aparece praticamente em todas as fotos de divulgação. E ali, você já se dá conta da magnitude do trabalho desse cara. IMPRESSIONANTE! Os detalhes do rosto humano são perfeitos: barba, rugas, cabelo, marcas no rosto. As linhas de expressão, o formato das orelhas, tudo, tudo o que pode existir em uma face humana foi meticulosamente estudado, desenhado para que o resultado fosse essa belezura que a gente vê.

Além da máscara; galinha presa pelos pés, jovem casal, mãe com bebê, homem na piscina,  mulher carregando lenha, menino machucado, homem nu dentro do barco e casal de idosos sob guarda-sol. Todas elas, sem exceção, incríveis e com o mesmo nível de detalhe (pelos, unhas, veias… nem mesmo as dobrinhas da pele foram poupadas). Viva Ron Mueck!!!

Homem na piscina
Homem na piscina
Mulher carregando lenha
Mulher carregando lenha

Pra mim, o semblante das faces é o que mais impressiona: dá pra sentir a emoção, o amor, a solidão, a angústia, como em nós. Se não fosse pelo tamanho das esculturas, ou bem pequenas ou gigantes (mas nunca em tamanho real), seria fácil confundi-las com uma pessoa comum. Certeza!

Homem nu no barco
Homem nu no barco
Casal sob guarda-sol (sensacional)
Casal sob guarda-sol (sensacional)

Prepare-se para concorrer com uma galera pelo seu lugar ao sol, digo, pelo seu lugar perto da faixa de segurança. É todo mundo se amontoando, se esbarrando, tirando foto, fazendo pose… enfim, aquilo que você já deve imaginar. E os seguranças o tempo todo gritando: “atrás da faixa”, “sem flash”, “segura a criança pela mão”, etc, etc…

Pra fechar com chave de ouro, um documentário de mais ou menos 50 minutos mostra o processo de criação das esculturas. As etapas, o cuidado, a atenção, os detalhes. Toda a concentração do artista, a sutileza na elaboração, trabalho de gênio mesmo. Sem o vídeo, a visita fica incompleta. É imperdível.

A exposição também foi esse sucesso por todos os lugares que passou: Japão, Nova Zelândia, México e Argentina. Antes de desembarcar em São Paulo, ela brilhou no Museu de Arte do Rio. Conta o site da Pinacoteca que as técnicas e materiais utilizados, assim como os temas trabalhados, fazem de Ron Mueck um artista extremamente inovador e original. E, olha, eu acredito!

Informações e dicas

Onde: Pinacoteca, Lg General Osório, 66. Em frente à estação de metrô Luz.

Horário (especial em janeiro): terça a domingo, das 10h às 20h e quinta das 10h às 22h. Atenção: a fila pode ser encerrada às 17h (na quinta, às 20h)

Quanto: R$ 6 (quintas após às 17h e aos sábados, a entrada é gratuita).Crianças até 10 anos e idosos não pagam.

Período: 20 de novembro de 2014 a 22 de fevereiro de 2015

  • É muita fila, principalmente aos sábados. Quem puder ir durante a semana, vá. Esse é nosso conselho de ouro.
  • Não é possível adquirir os ingressos com antecedência (infelizmente), só na bilheteria mesmo.
  • Saímos da exposição perto das 13h e o tamanho da fila já era bem menor, menos da metade da fila da manhã.
  • Visitante preferencial pode entrar apenas com um acompanhante.
  • Ir de metrô é a melhor pedida.
  • Vai em grupo durante a semana? Dá pra agendar uma visita: (11) 3324-0943 / (11) 3324-0944
  • Indispensáveis na mochila/bolsa: água, protetor solar, boné, guarda-chuva e um lanchinho.
  • Olhe tudo com calma e não esqueça de pegar o folder na entrada (assim dá pra entender melhor cada peça).

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY