As maravilhosas praias da Croácia – Hvar e Dubrovnik

As maravilhosas praias da Croácia – Hvar e Dubrovnik

4
SHARE

 

Hvar

A Croácia é um daqueles países em que não é possível conhecer somente a capital. A costa croata, banhada pelo mar Adriático, é um show à parte sem o qual o país não seria o mesmo. Nem do ponto de vista geográfico (claro), nem do ponto de vista econômico. Por conta do litoral e das ilhas maravilhosas, o turismo explodiu no país e hoje atraem mais de 10 milhões de turistas todos os anos.

Mesmo sem saber muita coisa sobre as praias, mas sabendo da fama de lindas e tal, decidimos inclui-la em nosso roteiro antes de sairmos do Brasil. Poucos dias antes de chegarmos lá, começamos a ler e conhecer melhor o que faríamos durante nossos 9 dias no país. E, quanto mais líamos e víamos fotos, mais nos surpreendíamos com o país. Parecia um paraíso. E foi!

Mar Adriático em Dubrovnik
Mar Adriático em Dubrovnik
Mar Adriático em Hvar
Mar Adriático em Hvar

Explorar o máximo que conseguíamos, mas sem perder a “qualidade” da visita era nossa meta.  Assim, além da visita à capital, optamos por conhecer uma ilha e uma cidade litorânea: Hvar e Dubrovnik.

Hvar é muito conhecida pela sua vida noturna. Durante o verão, rolam festas a noite toda e não é difícil encontrar bem de manhãzinha pessoas (ainda vestidas com roupas de balada e maquiagem borrada) na praia curando a ressaca. Mas, não foi isso que nos chamou a atenção na cidade. Foram as fotos que vimos do centrinho e a cor da água do mar.

Eu fico simplesmente encantada com essas cidadezinhas medievais. Adoro, principalmente aquelas em que as casas e prédios são feitos de pedra e no centro tem uma pracinha com igreja. E Hvar foi esse sonho, pintado de bege.

Centrinho em Hvar
Centrinho em Hvar
Igreja no centrinho de Hvar
Igreja no centrinho de Hvar

Hvar está dividida em duas partes principais: centro Hvar e Stari Grad. É no centro onde tudo acontece e foi onde ficamos. Stari Grad fica a alguns quilômetros do centro, mas tem também suas ofertas de restaurantes e lojinhas, além do mar, é claro. Stari Grad é uma opção pra quem quer sossego e não faz questão de conhecer pontos turísticos com o a Fórtica e a igreja.

Fórtica em Hvar
Fórtica em Hvar
Na Fórtica
Na Fórtica

Para chegar em Hvar só de ferry. Dá pra partir de vários pontos, mas o melhor, mais rápido é partir de Split (outra cidade que merecia um tempinho nosso, mas infelizmente não deu). De Split, partem ferries de duas empresas, mas a mais famosa é a Jadrolinija. Há duas opções: ferry rapidinho que leva 1 hora e pára no centro de Hvar. O bilhete custa em média 9 euros. A outra opção é uma balsa que também transporta carros. A viagem é um pouco mais lenta, dura 2 horas, mais confortável, mas a balsa deixa os turistas em Stari Grad. Custa 8 euros mais ou menos. Mas, a partir de Stari Grad é necessário pegar um ônibus (que fica logo na saída da balsa esperando as pessoas) e 10 minutos depois descer no centro. Esse ônibus é um roubo e cobra quase 5 euros por pessoa! Durante o verão, é aconselhável comprar os tickets para o ferry com pelo menos um dia de antecedência, para não correr riscos. Para ir, usamos a balsa e conseguimos comprar as passagens na hora, mas para voltar de ferry só comprando com antecedência mesmo.

Área de passageiros na balsa.
Área de passageiros na balsa.
Companheiro na balsa
Companheiro na balsa

A água em Hvar é gelada, mas levando em conta que a cidade ostenta o título de cidade mais ensolarada da Croácia e a temperatura em baixo do sol é bem elevada, o geladinho da água parece que foi encomendado. A praia é de pedra, mas ninguém se importa muito com isso não. A galera estende as toalhas e cangas nos lugares mais inusitados e escondidos possíveis. E, apesar do pouco conforto, posso dizer que é muito legal. Nós encontramos um cantinho no meio das pedras, sentamos e ficamos mais de horas por ali, conversando, sentindo a brisa, olhando o horizonte… e posso garantir que não foi tão estranho assim, muito pelo contrário! 🙂

Diferentes cores na água de Hvar
Diferentes cores na água de Hvar
Praia de pedra
Praia de pedra
Nosso cantinho na praia de pedra
Nosso cantinho na praia de pedra
Hvar
Hvar

A ilha parece uma espécie de reduto dos milionários europeus, que chegam com seus barcos enormes e atracam no centro da cidade. Por isso, também, Hvar não é um lugar barato.

Barcos e barcos na costa de Hvar
Barcos e barcos na costa de Hvar

Comer por menos de 8 euros é praticamente impossível e, além disso, não tem um supermercado em pudemos comprar comida. Só restaurantes. Italianos, em sua grande maioria. Embora, a culinária seja uma de nossas preferidas, os pratos não eram saborosos quanto em Zagreb. Uma curiosidade é a pizza. O que estamos percebendo desde a Ásia é que as pessoas não dividem a pizza. De tamanho menor do que estamos acostumados no Brasil, mas ainda grande, a pizza é prato para uma pessoa. Sempre que pedimos uma para dividir, os garçons não entendem e nos olham como se fôssemos uns ETs. Mas, quem se preocupa?

Hvar também tem outras atrações como igrejas e pequenos museus, mas como ficamos apenas um dia e meio lá, optamos por curtir a cidade, andar bastante e tomar sorvete. E foi uma delícia!

Praia
Praia
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Anoitecendo
Anoitecendo

 

Dubrovnik é o máximo! Visitar a Croácia e não visitar Dubrovnik é quase uma heresia. A cidade é incrível e a parte muralhada, antiga, uma verdadeira obra de arte.

Cidade muralhada
Cidade muralhada

Dubrovnik fica no extremo sul do país, bem no finalzinho da Croácia. Foi uma cidade muito importante no passado e, por isso, cresceu e se desenvolveu mais rápido que as demais. Durante a Segunda Guerra Mundial e também a guerra da Ioguslávia, foi fortemente bombardeada e grande parte dos seus prédios históricos foram danificados. Hoje, 20 anos depois, 100% do lugar já foi restaurado e, felizmente, aberto ao público.

Para chegar em Dubrovnik é simples, embora a estrada seja de mão única e acompanhe a serra, portanto, muitas curvas a enfrentar. Um dramin não é nada mal nesse hora. 😉 Nós tentamos alugar um carro, mas o valor não cabia no nosso orçamento. Algo em torno de 250 euros ida e volta (contando com os gastos com combustível e pedágio). Então, optamos pelo bom e velho busco (como sempre!) e não temos reclamações. Apenas uma ressalva para quem pensa em fazer o mesmo.

Em um dos trajetos, nós compramos a passagem no guichê e a recepcionista nos avisou que teríamos que mudar de ônibus. Até aí, ok. Mas jamais imaginávamos como seria. O ônibus simplesmente parou no meio da estrada e gritou o nome da nossa cidade. Descemos, conforme nos orientaram, e ficamos esperando outro ônibus. De repente, chegou um terceiro, que não era o nosso, e mais pessoas desceram. Depois de uns 5 minutos, o nosso chegou. Guardamos as malas e subimos novamente. Mais algumas horinhas na estrada e tivemos que repetir tudo de novo, mas, diferentemente da primeira vez, pararam uns quatro ônibus e todos os passageiros começaram a se movimentar enlouquecidamente (inclusive nós) porque não havia lugar marcado…

Enfim, chegamos e não sei porque não tivemos que enfrentar essa logística novamente. Melhor assim, uma vez já foi suficiente. 🙂

Acomodação em Dubrovnik não é das coisas mais baratas, por isso, optamos por ficar mais longe do centro histórico. Mas, a cidade é bem pequena e é super tranquilo andar pelas redondezas, mesmo com as “simpáticas” ladeiras que aparecem com frequência.

Em Dubrovnik o mais bacana na nossa opinião é andar (muitos dirão: como sempre!), mas é verdade. A parte histórica é bem pequena, mas cheia de ruelinhas estreitas e charmosas, flores nas janelas, roupas penduradas em varais fora das casas, além das lojinhas de artesanato, pequenas galerias de arte, muitos restaurantes, e muitos turistas, principalmente entre 10h e 16h. Vale a pena entrar para conhecer a igreja. Nela cada pequeno altar foi construído com um tipo diferente de mármore. Bem bonito.

Rua principal às 11h da manhã
Rua principal às 11h da manhã
Igreja
Igreja
Igreja
Igreja
Igreja
Igreja
Dubrovnik
Dubrovnik
Centro histórico
Centro histórico
Mercado central que funciona durante o dia apenas.
Mercado central que funciona durante o dia apenas.
Mais ruelas
Mais ruelas

Tem também um museu que conta a história da participação de Dubrovnik na guerra da Ioguslávia. Nele, a história é contada por meio de fotos e cada visitante recebe um livrinho com a legenda de cada foto. Como exposição temporária, estava a Guerra da Síria, no mesmo modelo de fotos e legendas. Ambas as exposições, muito didáticas e fortes. Conseguiram, pelo menos pra gente, passar a informação e sensibilizar.

No verão, começa a anoitecer perto das 21h, o que significa que o dia é bem longo (e puxado), mas significa principalmente que perto das 19h30, qualquer pessoa que vá até a cidade tem que subir no mirante para ver o pôr-do-sol e olhar a cidade lá de cima. É encantador! Mágico!

Cidade muralhada de cima
Cidade muralhada de cima
Restaurante em cima da montanha
Restaurante em cima da montanha
Pôr-do-dol
Pôr-do-dol
Pôr-do-sol
Pôr-do-sol
Pôr-do-sol
Pôr-do-sol

Há duas formas de subir (e descer): teleférico ou a pé. Teleférico todo mundo já conhece. A trilha para ir a pé não pareceu ser difícil, embora a montanha seja bem alta, a trilha é uma espécie de ziguezague e vimos pessoas de todas as idades fazendo, com exceção de crianças. A única observação para fazer a trilha é voltar antes do anoitecer, porque ela não é iluminada. Não sabíamos da existência da trilha (infelizmente), então compramos a ida e a volta de teleférico. No fim, foi melhor porque pudermos curtir o pôr-do-sol tranquilos. Dá pra descer a pé depois do pôr-do-sol, mas é preciso começar o quanto antes e ser bem rápido.

À noite, já é bem mais tranquilo e a brisa deixa o ar mais morninho. Se a intenção for ficar direto, vale levar uma blusa fina a tira-colo.

À noite
À noite
À noite
À noite
Dubrovnik
Dubrovnik

No segundo, e último (infelizmente), fomos para a praia!!! Pesquisando a melhor opção (como se fosse fácil!), encontramos nada mais, nada menos que “Copacabana Beach”. Nós nunca fomos juntos pra Praia de Copacabana no Rio, mas fomos na Croácia.

Copacabana Beach
Copacabana Beach
Copacabana Beach
Copacabana Beach
Copacabana Beach
Copacabana Beach

A praia é de pedra, como todas as outras; a água é bem gelada, como as outras, mas, diferente das demais, estava muito lotada: de crianças, casais, grupos de amigos, cachorros e muito mais. Não é comum, mas em algumas praias, é possível encontrar cadeiras e guarda-sol para alugar. O esquema é chegar, escolher um lugar e se arrumar. Em poucos minutos, alguém vai estar do seu lado, cobrando o “valor devido”, que não é nada barato e, dependendo do horário (quanto mais cedo mais concorrido), vai parecer que você está sendo roubado. Algo em torno de 30 dólares para duas cadeiras e um guarda-sol. Nós chegamos perto da 15h e acabamos nem sendo abordados, isso porque, esse é o horário que as pessoas começam a ir embora (afinal, já estão na praia desde às 9h da manhã).

Copacabana Beach
Copacabana Beach
Copacabana Beach
Copacabana Beach

Dois dias em Dubrovnik foi suficiente, mas dá pra ficar uns 4 ou 5, se a intenção for só relaxar e curtir um lugar lindo, charmoso, com bons restaurantes, cheio de história, com praias e sol deliciosos. O mesmo vale para Hvar. A Croácia é tudo isso e muito mais. Deve estar no topo da lista dos países europeus, com certeza!!!

Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Dubrovnik
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar
Hvar

4 COMMENTS

  1. Nossa, adorei tudo!!! Chego na Croácia em 15 dias e apesar de já ter pesquisado tantos blogs, sites , foi super válido ver o seu, já que esta bem atualizado.
    Passarei 3 dias em Zagreb, 4 em Split e 7 em Dubrovnik, onde pretendo fazer passeio a Montenegro.
    Acho que conseguirei curtir bastante assim como vocês!!!

    • Sandra!

      Ficamos muito felizes em poder te ajudar! Com certeza, você vai adorar a Croácia. Se você conseguir, pegue o ferry de Split para Hvar e passe o dia lá. É uma ilha lindíssima! Se precisar de mais alguma dica, é só perguntar. 😉

LEAVE A REPLY