Roteiro para Montevidéu: o que você precisa saber da cidade

Roteiro para Montevidéu: o que você precisa saber da cidade

34
SHARE

Como já falei post sobre nossas impressões de Montevidéu, quando começamos a montar nosso roteiro para Montevidéu, tínhamos na cabeça a referencia de uma cidade pequeninha em que é possível fazer quase tudo a pé (será que se fôssemos esforçados conseguiríamos ir do aeroporto ao centro a pé? rsrs).

Tá certo que Montevidéu não é uma big cidade, mas também não é um lugar que dá pra se conhecer rapidinho, pelo menos não na nossa opinião. Conhecendo um pouco melhor cada bairro da cidade, fica mais fácil decidir o que visitar e não voltar embora com aquela sensação meio frustrante de não ter visto tudo o que você queria.

Por isso que a gente decidiu fazer esse post: porque a gente sempre pensa em você! <3. E porque a cidade é tão gracinha, que vale aproveitar cada segundo.

Se por acaso você não se cansar e ler o post até o final, dá um oi pra gente lá nas caixas de comentários e diz o que você achou. Adoramos dar oi de volta! 😉

Quem é Montevidéu?

Essa cidade de 289 anos abriga praticamente metade de todas as 5 milhões de pessoas que moram no Uruguai. Ela fica no extremo sul do Uruguai e quase todos os seus 67 km de costa é banhado pelo Rio da Prata.

Cidade com alto IDH, foi sede da primeira copa do mundo promovida pela FIFA, em 1930. Além disso, você sabia que Montevidéu também é a sede administrativa do Mercosul?

Quando chegamos em Montevidéu, pegamos um mapinha no centro de informações turísticas na cidade velha e não tínhamos a noção de que esse mapinha representava uma parte super pequena da cidade, uns 15% de tudo, no máximo. Foi aí que descobrimos que grande parte da cidade é formada por extensas áreas rurais e vinícolas, que é super possível visitar.

Pronto pra começar a pensar no seu roteiro para Montevidéu?

Neste post, vamos falar da parte mais urbana e mais visitada. Primeira parada: Cidade Velha, na ponta oeste do circuito turístico. Última parada: bairro mais glamouroso da cidade, o bairro de Carrasco, lá na ponte leste.

Cidade Velha de Montevidéu

É um pequeno conglomerado de umas 40 ruas coladinho na zona portuária, onde nasceu a cidade. Já deu pra sacar que é na cidade velha onde você vai encontrar os prédios tombados pela Patrimônio Histórico e também resquícios da grande muralha que cercou a cidade na época da colonização espanhola. Ou seja, não dá pra pensar em um roteiro pra Montevidéu e não passar por aqui.

É na cidade velha onde está a maior parte dos museus de Montevidéu (Museu do Carnaval, Museu de Arte Pré-colombiana e indígena, Museu Andes, Museu Gurvich), os centenários Café Brasileiro e Baar Fun Fun, o Mercado do Porto, o Teatro Sólis e, claro, o Portão da Ciudadela.

porta da ciudadela montevidéu
Portão da Ciudadela

Pra quem quiser um souvenir latino-americano bem caprichado, uma comidinha diferente ou apenas um lugar gracinha pra visitar e tirar fotos, eu sugiro uma passadinha na galeria Mirando Mundos.

mirando mundos montevidéu
Galeria Turística Mirando Mundos

Pra quem gosta de museu e gosta de história, sugerimos um dia todo na cidade velha. E pra conhecer os pequenos segredos da cidade, nós super sugerimos o Free Walinkg Tour. Nós sempre fazemos e adoramos. 😉

A Praça da Independência marca o fim da Cidade Velha e o início do centro novo.

Curiosidade

De acordo com a guia do nosso tour, a estátua do General Artigas que está no centro da Praça da Independência não está de costas para a cidade velha à toa. Ele está nessa posição de propósito. Um dos grandes responsáveis pela independência do Uruguai, General Artigas dá as costas à velha cidade (e país) colonizada, que pertence ao passado e olha para cidade (país) nova que está se erguendo e que é, portanto, o futuro.

Centro de Montevidéu e Praça da Independência

Começando pela praça mais importante de todo o país, a Praça da Independência. É nela que estão os principais edifícios da cidade – o histórico Palácio Salvo, o Palácio da Presidência, o antigo palácio da Presidência – e o edifício do Hotel Radisson.

praça independência montevidéu
Praça da Independência

Na Praça da Independência começa a avenida mais importante de todas, a 18 de Julio, que tem esse nome porque 18 de julho é o dia da independência do Uruguai, sacou? Super movimentada, a 18 de Julio é uma avenida de comércio popular que corre o bairro todo e termina no Parque Battle. Estão nela, a famosa fonte dos cadeados de amor da cidade, propriedade do Bar e Restaurante Facal, e o prédio da Intendência (Prefeitura) de Montevidéu.

fonte dos cadeados montevidéu
Fonte dos Cadeados

É no centro onde estão concentradas a maioria das salas de teatro da cidade (Sala Verdi, El Galpón, del Anglo e Circular) e também alguns museus e salas de exposição como Museu do Azulejo, do Automóvel e o imperdível Espaço de Arte Contemporânea. É no centro também onde ficam várias casas de show, como El Milongon.

espaço de arte contemporânea
Espaço de Arte Contemporânea

Aos domingos, é no centro que acontece a famosa Feira de Tristán Narvaja. E é lá também onde fica o Mercado da Abundância: um mercado popular com restaurantes simples e saborosos e shows de tango.

mercado da abundância montevidéu
Mercado da Abundância

Bairro Sul e Palermo, berço da cultura afro-uruguaia

Bairro Sul e Palermo são os bairros que ligam o centro ao Parque Rodó. É um bairro sem grandes atrações turísticas, mas que é conhecido por ser o local onde nasceu a cultura afro-uruguaia e o ritmo candombe. Também neles começa a Rambla República da Argentina, parte onde já é possível caminhar e admirar melhor o Rio da Prata.

Parque Rodó, o xodózinho de Montevidéu

No final da Rambla Argentina, e dividindo o bairro de Cordón e Punta Carretas, está o Parque Rodó. Um parque aconchegante, super delícia, cheio de árvores, com lago e pedalinhos mega simpáticos.

parque rodó montevideú
Parque Rodó

Mas nem só de lago e árvores vive o Rodó. Dentro dele, você vai encontrar o Museu de Artes Plásticas e Visuais, o Teatro de Verão e até uma Faculdade de Engenharia.

De frente para o Rodó fica a praia Ramirez e o início da Rambla Wilson (uma das nossas partes preferidas de toda Rambla). Outras paradas imperdíveis no seu roteiro para Montevidéu.

Punta Carretas e Pocitos, restaurantes e vida noturna em Montevidéu

Conforme fomos caminhando do lado oeste para leste da cidade, fomos percebendo a diferença de ambiente, dada pela arquitetura, pela conservação dos edifícios, pelo estilo dos habitantes. Parece que Punta Carretas e Pocitos são uma espécie de linha imaginária que divide a cidade economicamente.

Bairros residenciais e boêmios, concentram grande parte dos melhores restaurantes e das atividades ao ar livre na praia e na Rambla (muitas, muitas pessoas jogando bola na praia, andando de bicicleta e patins).

Rambla em Pocitos
Rambla em Pocitos

Em Punta Carretas, fica o Parque Punta Carretas, a ponta mais ponta da cidade, de onde o pôr do sol é lindo e de onde é possível ter uma visão super bacana da parte velha da cidade. O shopping Punta Carretas, fino e chique, fica ao lado do Museu de Artes Plásticas.

Pocitos é o bairro onde a maioria dos turistas prefere ficar. Super charmoso, arborizado e eclético, tem prédios com arquitetura mais antiga e mais moderna. Uma delícia passear pelas ruas no começo da manhã ou final da tarde.

pocitos montevidéu
Bairro de Pocitos

Bairro cheinho de restaurantes e bares bacanudos, como o 62 Bar, e hotéis pra todos os gostos, como o My Suites,  que é também um wine bar muito gostosinho.

Dizem que a Praia de Pocitos é super badalada, e a Rambla Peru que margeia o bairro é das mais legais da cidade. Em Pocitos também fica o letreiro com o nome da cidade “Montevidéu”, de onde dá pra ver própria ao fundo.

Letreiro Montevidéu
Letreiro Montevidéu

Parque Battle, o parque do Estádio do Centenário

Ao norte de Pocitos e no final da Avenida 18 de Julio (lembra?) está o Parque Battle, um bairro que foi batizado em homenagem ao Parque José Batlle y Ordóñez. É um lugar mais residencial, onde a grande atração mesmo é o parque, que guarda dentro de seus 60 hectares o Estádio do Centenário, onde foi realizada a primeira Copa do Mundo (lembra?), o velódromo municipal e a pista de atletismo. E o Museu do Futebol, claro, que fica no interior do Centenário.

estádio do centenário
Estádio do Centenário

Carrasco, o bairro nobre de Montevidéu

Para chegar a Carrasco, atravessamos os charmosos bairros de Buceo, Malvín e Punta Gorda, também residenciais, com praias bem bonitas e cm árvores que quase fecham as ruas. Pelo caminho, percebemos a mudança mais drástica de paisagem… Casas maiores, carros mais caros, restaurantes mais chiquetosos, enfim. Sabíamos que estávamos entrando na parte mais nobre da cidade.

Um lugar pra não perder

Como em Punta Carretas, Punta Gorda tem esse nome por conta de pedacinho de terra que avança para o rio. Do miradouro de Punta Gorda, a vista da cidade é belíssima. Mas prepare-se para um pisar em um lugar super reservado. Muito bem cuidada, calma, charmosa, é quase uma área particular das famílias mais abastadas da cidade.

rambla méxico
Rambla México

De tudo o que pudemos ver, Carrasco é o que tem de mais fino e requintado em Montevidéu. É lá onde o Cassino Carrasco está em toda a sua pompa e circunstância. Visto de longe, o Cassino parece até um castelo a reinar no alto da sua montanha inatingível.

cassino carrasco
Cassino Carrasco

Sem grandes atrações turísticas, Carrasco é um bairro planejado, com muitas áreas verdes, construções mais baixas, praias (quase) particulares e ótimos restaurantes. O passeio lá é andar pelas ruas tranquilas e admirar a beleza da arquitetura das casas.

E de oeste a leste, nós percorremos os principais bairros turísticos da cidade, sempre acompanhados da Rambla maravilhosa de quase 25 Km e de muitos locais com mate nas mãos.

E aí, o que achou? Conseguiu ter uma visão geral de tudo e pensar em seu roteiro para Montevidéu? Conta pra gente, vai! E se você gostou do post, dá um joinha aí embaixo, ou compartilha ou escreve um comentário.

Nossa viagem para Montevidéu foi uma parceria com o Conglomerado Turístico da cidade. As impressões, opiniões e dicas são 100% nossas e somente baseadas nas nossas experiências.

Procurando hotéis em Montevidéu?

Se você reservar por aqui, além de você conseguir os melhores serviços, você ajuda este blog a ganhar uma pequena comissão e continuar vivo, sem gastar nada a mais por isso. 😉

Você também pode acompanhar nossas histórias e dicas de pertinho:

Curta a nossa Fanpage

Siga a gente no Instagram e no Snpachat (@contosdamochila)

Leia as nossas Revistas Digitais

Nossa viagem a Montevidéu fio apoiada pelo Conglomerado Turístico da cidade. Todas as dicas e opiniões são 100% baseadas em nossa experiência e tem liberdade editorial completa.

*nossas principais fontes foram: os materiais promocionais da cidade, informações dadas pela guia e o site http://www.descubrimontevideo.uy

34 COMMENTS

  1. Excelente roteiro, Pam.
    Estou pretendendo ir em maio e, desde já, estou pesquisando pontos para visitar.
    Pena que fico menos de dois dias, mas vou otimizar o tempo e aproveitar o máximo para conhecer tudo que quero. Uma dica pontual pra mim foi saber onde ficava o letreiro com o nome da capital.
    Parabéns pelo blog.
    Bjs.

  2. Olá Pam!
    Parabéns!
    Durante minha pesquisa o seu post foi um dos melhores!
    Prático, objetivo e bem informativo.
    Irei em fevereiro com três amigas passar 12 dias. Vamos usar Montevideo como base para um bate volta : Carmelo, Colônia, Cabo Polônio.
    Depois ficaremos mais tres dias em MTD. Daí vou aproveitar bem o seu roteiro de Montevideo. Vamos passar quatro dias em Punta del Leste.
    Aceito sugestões rsrsrs
    Beijos!

    • Oi Jandira!
      Ah, fiquei muito feliz em saber que o post te ajudou! Obrigada pelo seu feedback. Depois da viagem, dá uma passadinha aqui pra contar como foi 🙂
      Infelizmente, vou ficar devendo as dicas de Punta, pelo simples fato de eu não conhecer. Quem sabe você não me dá as dicas da próxima vez?
      Obrigada pela visita ao blog. Bjs

  3. Meus parabéns!Sem dúvidas foi o melhor panorama para Marinheiros de primeira viagem .Era tudo que eu precisa pra entender como funciona a cidade!Belo trabalho!

  4. Oi gente!vou rm Dezembro pra Montevideo e punta e queria entender o esquema do IVA devolvido! Serve pro travel money? Amei o post! Beijinhos!

    • Oi Lily,

      Muito obrigada pela visita!!! Olha, o IVA é o imposta devolvido para compras de bens realizadas dentro do país. Não entendi exatamente sua pergunta sobre o Travel Money. Se você quiser saber se pode resgatar o imposto pagando por algum bem via travel money, sim, com certeza. O importante é pedir o recibo ao estabelecimento, não importa a forma como você pagou.
      Boa viagem e aproveite muito Montevideo. 😉

  5. OI!!
    GOSTEI DE SEUS COMENTÁRIOS, REALMENTE PASSOU UMA TRANQUILIDADE, UM OLHAR ROMÂNTICO. PARABÉNS! ESTOU INDO NO INÍCIO DE OUTUBRO. ESTOU COM MEDO APENAS DE PEGAR FRIO, E DOS PREÇOS, KKKK, PQ SEGUNDA AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES O URUGUAI ESTAR MUITO CARO. RESSALTARAM INCLUSIVE ÁGUA MINERAL E AS REFEIÇÕES. BEM, ESPERO QUE OCORRA TUDO BEM. TCHAU!.

  6. Oi Pam, adorei seu post e com certeza vou aproveitar muito suas dicas. Estou indo a Montevideu em julho. Montevideu, Punta, Colônia de Sacramento e Buenos Aires. Vou fucar no Massinis, quais is restaurantes que vc vonhce por lá? Vi tb vc falar que existem muitas vinícolas nos arredores. Vou de Montevideu a Colônia de carro e gostaria de aproveitar pra visitar alguma vinícola no caminho. Você pode indicar alguma?
    Obrigada
    Suzana

    • Oi Suzana, que delícia sua viagem! Eu não conheço Massinis, então não consigo te ajudar com as sugestões, infelizmente. sobre as vinícolas entre Montevidéu e Colônia, você poderia pesquisa melhor a Bodega Bouza, que é a mais famosa da região de Montevidéu. A parte rural de Montevidéu também tem muitas boas vinícolas. Aproveite muito.
      Muito obrigada pela visita! 😉

  7. Olá, Pam! Você poderia me enviar o seu roteiro? Percebi que você gosta de conhecer a cidade com mais calma e é justamente o que eu preciso! Terei 3 dias inteiros e mais um pedacinho e pensei em organizar assim: 1o dia – centro e ciudad vieja, 2o dia – pocitos e punta carretas, 3o dia – parque rodó e feria tristan narvajo, 4o dia estadio monumental e saída para punta (onde fico mais 3 dias…) O que vc acha? (Ah, viajo com um bebê de 6 meses e em janeiro).

    • Oi Luciana, obrigada pela visita ao blog!
      Eu, de fato, gosto muito de viajar devagar e curtindo o lugar com calma, curtindo tudo. Em três dias, dá pra fazer bastante coisa bacana na cidade, mas é claro que o roteiro vai depender dos seus interesses. Por exemplo, a cidade velha tem muitos museus e centros culturais. Então, se você gosta disso, talvez um dia só na cidade velha seja o ideal. Cidade Velha e Centro juntos, acho que é muita coisa pra um dia só. Já, a feira de Tristan Narvajo e Parque Rodó até dá pra fazer em pouco mais de 4 horas. Uma sugestão: incluir o Parque Rodó no mesmo dia de Pocitos e Punta Carretas e deixar pra ver mais coisas do centro no domingo também (já que a feira é perto do centro) e assim, tem um pouco mais de tempo para curtir a cidade velha.
      Sobre o bebê, acho que você não terá problema nenhum. A cidade é tranquila, plana e com temperatura agradável.
      Espero ter ajudado. Se puder passar por aqui depois da viagem e contar como foi, vou adorar! 😉

  8. Pam, já fui várias vezes a Montevideo quando era pequena, mas confesso que não lembrava mais. Adorei o post! Cheguei a conclusão que preciso voltar lá em breve! Obrigada! beijos

  9. Nossa, adorei o post! Moro tão pertinho do Uruguay e nunca fui pra lá!!! Com certeza vou me basear nesse roteiro quando eu for, obrigada!
    Beijos

  10. Gente, eu adorei! Tô planejando uma visita à cidade (não conheço ainda, que vergonha!), e adorei estar tudo mastigadinho assim. Obrigada, Pamela!

    • Oi Daniele, que legal que gostou das dicas! Os bairros oferecem diferentes coisas para os visitantes. Achei que podia ser interessante contar isso com mais detalhes e ajudar as pessoas a planejarem seus dias lá! 😉

LEAVE A REPLY