Viajando de trem pelo Vietnã: experiência e dicas

Viajando de trem pelo Vietnã: experiência e dicas

19
SHARE

Sair viajando de trem pelo Vietnã é completamente possível, prático e barato, além de ser uma experiência cultural incrível!

Nós tivemos essa oportunidade durante a nossa viagem de volta ao mundo e como tínhamos tempo (e poucos recursos), optamos rapidamente por fazer nossos trajetos de trem, mesmo sabendo que as viagens seriam longas. Mas afinal, não é sempre que dá pra sair viajando de trem pelo Vietnã, não é mesmo?

Quais foram nossos trechos e quanto custou cada um:

Então, para quem não sabe ou tem dúvidas de que é possível usar transportes alternativos nos países asiáticos, esse post vai responder suas perguntas.

viajando de trem pelo Vietnã
Placa indicativa com as informações da viagem! Hã?

O Vietnã tem uma geografia bacana para o sistema ferroviário. Ele é comprido e fino, com exceção do norte que é mais “cheinho” (parece uma flor com caule) e é bem plano. Além disso, é um país seguro, tanto para locais quanto para viajantes.

Por isso, os trens se tornam um grande aliado: além de cobrir o país de norte a sul, é bastante tranquilo e sossegado. A única ponderação é sobre o tempo da viagem, já que os trens não são muito velozes; ou seja, quem está com horário contadinho e tem poucos dias para conhecer o país, o mais aconselhável é viajar de avião mesmo.

Muitas agências vendem bilhetes online e cobram uma taxa de mais ou menos 20 % sobre o valor do bilhete. É mais fácil, mas mais caro. Em nossa primeira compra, decidimos ir até a estação de trem de Hanói (que fica bem perto do centro) e fazer o processo todo por lá mesmo.

E foi até fácil, mesmo com a falta de fila e a ordem vigente “quem gritar mais alto, compra antes”. O pulo do gato é procurar as atendentes mais jovens que conseguem se comunicar em inglês, e dá até para tirar algumas dúvidas com elas.  Elas só não têm muita paciência, então não perca a sua…

Há várias formas de ficar viajando de trem pelo Vietnã, umas mais e outras menos confortáveis: basicamente, você vai sentado ou deitado, óbvio. Nossas viagens foram longas, com duração de 17 horas cada uma, e preferimos fazer os trajetos noturnos (assim aproveitamos para dormir no caminho) e por isso, compramos a opção cama.

Viajando de trem pelo VIetnã
Estação de trem em Ho Chi Minh

São dois tipos de cabines com camas: na “primeira classe”, a cabine tem duas beliches com colchões de uns 15 cm. Essa cabine chama Soft Sleep. Na “segunda classe”, cada cabine (com o mesmo tamanho da primeira classe) abriga duas treliches, com colchões de 5 cm. Esse segundo tipo chama Hard Sleep. Bem intuitivos os nomes, não?

Durante o dia dá pra andar um pouco nos corredores e ficar atento às paisagens mas, como o corredor é bem estreito, não dá pra ficar de boa em pezinho… Tem sempre alguém querendo passar na sua frente, rsrsrs.

Corredores...
Corredores…

Também é possível escolher qual nível da cama você quer dormir. Como nossa viagem foi noturna, preferimos o nível 3, o mais alto, para guardarmos as malas em um compartimento que fica no teto. Mas o nível 1 também é interessante, pois tem uma mesinha para você fazer as refeições.

A única opção que não recomendamos é o nível 2 (intermediário), porque não tem nada de legal a não ser a janela (que também é vista pelo nível 1).

Veja também: A louca e autêntica Hanói

Os preços também variam, de acordo com os níveis. O 1 é o mais caro e o nível 3 mais barato. Com relação à estabilidade, o nível 3 é bem tranquilo, nem dá pra sentir o trem chacoalhando a noite inteira.

Óbvio que nós optamos pela cama Hard Sleeper e dividimos nosso cantinho com mais umas 8 pessoas alternadas nas outras 4 camas.

Vagão Hard Sleeper
Vagão Hard Sleeper

Se eu disser que é confortável, vou estar mentindo: a cama é dura, não dá pra sentar (porque você vai bater a cabeça no teto) e os vietnamitas tomam sopa às 7 horas da manhã (e você acorda com o cheiro), mas tem também seus pontos positivos.

Além de ser mais barato, e gerar economia de uma noite no hostel, é mais uma chance de convívio com os locais e, mesmo sem conseguir trocar uma palavra com eles, dá pra entender um pouquinho mais sobre os costumes. O que mais me incomodou foi o banheiro, muito sujo para os nossos padrões. Mas eu tentei relevar com todas minhas forças e passei bem.

Veja também: A charmosa e linda Hoi An
Veja também: Onde ficar em Hoi An

Incluso no pacote estão um travesseiro com fronha, um lençol e um edredom, que são até que bem limpinhos, mas que é de uso comunitário; ou seja, se você pegar o trem em uma estação no meio do caminho, você vai deitar no mesmo lençol e usar o travesseiro com a mesma fronha que a pessoa anterior. Para ter um pouco mais de higiene, nossa dica é forrar a cama com uma canga e o travesseiro com uma blusa (foi o que eu fiz, por exemplo, rs).

viajando de trem pelo Vietnã
Vamos desconsiderar que a única foto que Paulinho tirou de mim no trem, ele não percebeu que eu tinha fechado o olho, ok?

Existe também uma diferença entre os tipos de trens: os mais novos e mais velhos. Nossa primeira viagem foi com o trem tipo 3, muito bom, mais novo e bem estável. Nossa segunda viagem foi com o trem tipo 7, esse mais velhinho, apertado e mais instável, o que deixa o sono mais movimentado.

As paisagens não diferem muito do que estamos acostumados nas áreas rurais do Brasil, com exceção dos campos de arroz (desconsiderem a sujeira do vidro que deixou as fotos embaçadas).

Campos de arroz
Campos de arroz
Campos de arroz
Campos de arroz

Além de observar a paisagem, durante nosso “tempo livre”, nós lemos, jogamos joguinhos no celular, comemos as besteiras que levamos, conversamos… Tudo deitados na cama ou pé (lembrem-se que não dá pra sentar).

Veja também: A encantadora e moderna Ho Chi Minh

Também ficamos observando uma menininha linda que foi em nossa cabine e comentando sobre todas as tralhas que o pai dela levou para mantê-la entretida por tanto tempo. Enfim, vida semi-normal!

Não é necessário coragem, só um pouquinho de paciência e bom-humor. A experiência vale muito a pena pra quem gosta de aventura! Vá sem medo, porque é seguro. Vá sem nojinho porque não o tem o que fazer. Vá com o coração e a mente abertos pra observar e entender as pessoas. O Vietnã é demais! E boa viagem!

viajando de trem pelo Vietnã
Chegando em estado “só o pó” em Ho Chi Minh.

Dicas gerais:

Mais informações sobre os trens, aqui no site oficial.

  • Leve uma mochilinha de mão com itens importantes e deixe sua viagem mais confortável: canga ou toalha ou lençol, blusa fininha de frio, escova e pasta de dentes, papel higiênico, sabonete, toalha de rosto, tapa-olho para dormir, Dramin (ou algo parecido), muita água, livro ou celular (ou Ipad…) para entretenimento e comidinhas para beliscar.
  • Se comprar as camas níveis 2 ou 3, não suba calçado. Tire os sapatos, deixe-os embaixo da primeira cama e suba em seguida. Isso é bem importante para eles.
  • Os trens tipo 7 não são muito confortáveis. Se puder, tente outros tipos.
  • Não se estresse com a sujeira dos banheiros ou com o cheiro de comida de quem está tomando sopa às 7h da manhã. É assim mesmo!

Obrigada por ler! <3

Newsletter_1

19 COMMENTS

  1. Que aventura! Eu tinha escolhido o Vietnã para as ferias de dezembro, mas teria pouco tempo pra explorar e resolvi trocar e ir quando tiver mais tempo e puder conhecer melhor, boa dica do trem!

    • Paula, sábia decisão. Pra explorar bem o Vietnã, eu sugiro, no mínimo 15 dias. Eu passei 13 dias no país e não consegui conhecer nenhuma praia e outras cidadezinhas bucólicas. Quando decidir ir e quiser ajuda, pode contar comigo. Obrigada pela visita! bj

  2. Pam, as dicas são ótimas, sim! Mas me imagina neste trem? NO WAY! Nem no super-mega-extra-soft-sleep rsrsrsrs… De qualquer forma, acho que deve ser uma experiência e tanto.
    Beijos

    • Ana, a experiência foi sensacional, principalmente porque estávamos começando a explorar o Sudeste da Ásia, então, já fomos aprendendo mais da cultura deles. Mas, de fato, não é pra todo mundo mesmo, principalmente, nas cabines coletivas, onde não há quase nenhum conforto.
      De qualquer forma, viajar de trem é sempre uma delícia pra mim. Obrigada pela visita! Beijo

  3. Pam, mais um capítulo de dica para ‘os fortes’, kkk… adoro o detalhamento e as descrições dos teus posts. Canga sempre!!! Ela salva muito!!! bj

  4. Cada vez mais vc me deixando com vontade de viajar para a Ásia – finalmente!!! Vc vai ser minha consultora pq eu sei que esse roteiro é complicado de fazer rs.

  5. Gente, que doideira esse trem!
    Acho que não cosneguiria dormir no nível 3. e o medo de cair? Aahaha

    Eu adoro viagem de trem, Achei muito curioso!

    Beijo

  6. Pode admitir, Paulinho: na foto, você tinha acabado de ver um moleque de 15 anos gordinho e estava considerando a possiblidade dele não conseguir passar por você…. huahuahauhauhauahua =)

    Acho que vocês já devem ter lido isso vááárias vezes, mas os posts dão uma imersão incrível para quem está lendo!!! Aguardando o próximo!

    • Otávio… Paulinho ficou tanto tempo em pé no corredor que desenvolveu uma técnica toda especial. Até o carrinho de comida conseguia passar por ele. kkkkkk
      Fico super feliz por conseguir passar pra vocês um pouquinho do que vivemos aqui. Assim, ficamos mais juntos!! Próximo post daqui a pouco!!

LEAVE A REPLY