Roteiro para um mochilão de 6 meses

Roteiro para um mochilão de 6 meses

5
SHARE

Nossa primeira experiência juntos ao montar o roteiro para um mochilão foi há um ano atrás. Tínhamos duas semanas para conhecer Cuba. E já foi tão difícil tomar todas as decisões… Nós queríamos conhecer TUDO, tudo mesmo; principalmente depois que começamos a ler relatos de outros blogueiros.

Quando estamos diante desta missão quase impossível, parece que tudo é imperdível, tudo é lindo! E não duvido de que seja assim mesmo. Mas, a verdade nua e crua é que não dá! É praticamente impossível incluir no roteiro absolutamente tudo o que se quer ver sem que o viajante quase morra de cansaço. E, aí, a dúvida: visitar menos lugares com mais tempo, ou mais lugares com pouco tempo. 

Acho que conseguimos encontrar um meio termo, nem lá, nem cá. Pra nós, é superimportante ter tempo suficiente para absorver a cultura dos lugares, conversar com as pessoas, ficar de bobeira sentados em uma pracinha, essas coisas. Além disso, também precisamos prever algumas horas para lavar roupa, dormir mais um pouco, encontrar algum lugar para ficar ou se recuperar de algum piriri. Por outro lado, são expectativas e vontades de duas pessoas e elas precisam ser entendidas e respeitadas, para não virar uma viagem de uma pessoa com um acompanhante.

Entre nossa família e amigos, somos conhecidos como o casal que faz viagens para lugares “diferentes”, lugares não muito “turísticos”; embora depois de visita-los, nós sempre acabamos desmistificando isso. Na verdade, nossos critérios para escolher os lugares que visitamos são bem simples (e nesta ordem): 1) diferença e riqueza cultural, 2) natureza e 3) investimento necessário.

No início, nossa ideia ingênua e romântica era dar uma volta ao mundo em 3 meses (é gente, não é fácil começar o roteiro para um mochilão…)! Listamos todos os países que cada um de nós gostaria de conhecer, sem restrição de distância, de burocracia, etc… Queríamos confrontar as duas listas depois e então descobrir as coincidências e… pronto! Roteiro fechado! #sqn

Nossa lista de “países coincidentes” chegou a ter 25 representantes, rsrsrs. É… seria uma missão muito impossível! Então, cortamos, cortamos e chegamos em 12 países. Ok, não seria mais uma volta ao mundo. Acabamos dando preferência para o sudeste asiático e o leste europeu:

  • Tailândia
  • Vietnã
  • Indonésia
  • Laos
  • Camdoja
  • Malásia
  • China
  • Rússia
  • Turquia
  • Polônia
  • República Checa
  • Áustria

12 países em 3 meses. Legal! Conseguimos! #sqn parte 2.

Como ir para o leste europeu e não conhecer a Hungria? Hungria incluída! E a Croácia? Croácia incluída. Temos um casal de primos mega queridos, Otávio e Tamara, que moram na Bélgica. “Ahhhhhh, só uma passadinha na Bélgica”. Ok, Bélgica incluída. “Mas como ir para China e não conhecer o Tibete?” Tibete incluído. “UAU! E se fizéssemos a Transiberiana, via Transmongol de Pequim até Moscou?” Demais!! Mongólia e interior da Rússia incluídos. “Poxa, só alguns dias na Alemanha”. Alemanha dentro.

Após toda essa maratona, uma descoberta incrível! Tínhamos reservado R$7.000,00 para comprar nossas passagens para Tailândia, porque não tínhamos milhas suficientes, mas imaginem nossa felicidade quando descobrimos que, com apenas 50.000 mil milhas conseguíamos ir para a África do Sul, e com mais R$ 2.000,00 voaríamos de Johanesburgo para Bangkok! Economia de lindos R$ 5.000,00! África do Sul incluída no roteiro (mas só 4 dias e só Johanesburgo).

Claro que depois dessas mil inclusões, tivemos que tomar outra decisão: aumentar o tempo da viagem. Foi um período de muita negociação entre nós dois, de novo os prós e contras, etc… Depois de algumas semanas, cronograma fechado: mais 2 meses de viagem. Seria ideal! Pareceu perfeito! E ainda assim fizemos dois cortes: Indonésia e Malásia. Na verdade, vamos ficar 1 dia e meio na Malásia apenas para o Paulinho conhecer as gêmeas Petronas Towers (meu marido é engenheiro civil para quem não sabe). Já a Indonésia, deixamos para incluí-la quando voltarmos para conhecer Austrália, Nova Zelândia, etc…

Ficou assim: 18 países em 5 meses. Lembrando que em alguns será apenas uma passada rápida para interesses específicos. Durante a viagem, nós fomos alterando o roteiro, que sinalizamos abaixo também.

Para finalizar com chave de ouro (pra mim, pelo menos), Paulinho decidiu fazer um intensivão de inglês; afinal de contas, estaremos na Europa mesmo. E escolheu… Londres!!! Minha amada e idolatrada Londres! Veja o quanto eu a amo aqui. Viva! AMEI!

E desse nosso jeitinho, ainda um pouco ingênuo e romântico, finalizamos nosso pré- roteiro. Digo “pré” porque tudo pode acontecer e tudo pode mudar. Esse é o espírito. Livres! Porque se não for assim, qual a graça?

5 COMMENTS

  1. Caríssimos! Ano passado fiz um mochilinha pela europa,19dias, três países, 4 cidades. 7 dias por cidade foi ótimo. Nao tive a menor pressa de ver pontos turísticos, fiz tudo muito devagar, dormi até não poder mais e foi ótimo. Como vcs estao pensando em sedeslocar de um país a outro? Eu optei por ônibus, mais barato e achei legal pra caramba. Tipo, os motoristas nem sempre falam inglês, mas nas rodoviárias é sussa. Bom, vcs vão ter tempo para experimentar. Abraços!

    • Oi Gustavo!! Fã de mochila também? Para quais cidades você foi? No início, pensamos em nos deslocar de trem, mas ônibus também é uma super sugestão, e também o aluguel de carro; Paulinho vai adorar! Valeu mesmo!! Super legal saber que você vai nos acompanhar por aqui. Abraço,

LEAVE A REPLY